Dados do desemprego revelam "forte dinamismo" do mercado de trabalho

Lusa

O secretário de Estado do Emprego, Miguel Cabrita, afirmou hoje que os dados definitivos relativos ao desemprego de novembro revelam "o forte dinamismo" do mercado de trabalho e que políticas do Governo estão a dar frutos.

O Instituto Nacional de Estatística (INE) reviu hoje em baixa de 0,1 pontos percentuais a taxa de desemprego de novembro para os 8,1%, valor mínimo desde novembro de 2004, estimando para dezembro uma nova descida para os 7,8%. Um ano antes, em dezembro de 2016, a taxa de desemprego situava-se nos 10,2%.

Em declarações à agência Lusa, Miguel Cabrita disse que 2017, continuando a tendência que já vinha de 2016, "tem sido um ano excecional do ponto de vista da criação do emprego e do dinamismo".

"Os dados da previsão para dezembro são muito favoráveis, mas vamos esperar pela confirmação. Os dados relativos ao mês de novembro são dados que de facto revelam este forte dinamismo do mercado de emprego", disse.

O governante sublinhou que a taxa de desemprego jovem, "embora ainda seja elevada", diminuiu ainda mais do que o desemprego em geral, demonstrando um dinamismo "muito relevante".

Miguel Cabrita sinaliza ainda que o crescimento da população empregada relativa ao mês de novembro do ano passado tenha sido "o maior aumento de sempre registado na série do INE".

"Há mais 165 mil pessoas empregadas em Portugal, o que mostra bem como esta recuperação do mercado de trabalho é alicerçada na criação de emprego, na criação de novos empregos, o que do ponto de vista do Governo, e creio que para o país, é muito importante e positivo e revela que a aposta numa política de recuperação económica, recuperação de rendimentos e de criação de boas condições para a criação de emprego é uma politica que está a dar os seus frutos e isso é motivo de satisfação", disse.

"Sabemos também que a questão do emprego é uma preocupação que continua a afetar 8% dos trabalhadores e é naturalmente uma preocupação permanente do Governo. Essa é e continuará a ser uma das prioridades do Governo para o próximo ano", reforçou.

O valor apurado para novembro pelo INE representa uma descida em 0,3 pontos percentuais face ao mês anterior e menos 0,7 pontos percentuais em relação a três meses antes.

A estimativa provisória da população desempregada para dezembro é de 401,5 mil pessoas e a da população empregada é de 4,776 milhões de pessoas.

Segundo o INE, a taxa de desemprego dos jovens (provisória) situou-se em 22,1%, contra os 22,8% observados no mês precedente e os 26,2% registados em dezembro de 2016.

Já a taxa de desemprego dos adultos foi de 6,9%, descendo dos 6,6% de novembro e contra 8,9% observados um ano antes.