Confissões de Diogo Lacerda Machado no fecho do Congresso da APAVT

Agostinho Silva, em Macau

À hora que a Madeira desperta, já terminou o Congresso Nacional da Associação Portuguesa dos Agentes de Viagem e Turismo (APAVT), em Macau.

A conversa com Diogo Lacerda Machado, o advogado e administrador de empresas, era e foi um dos momentos mais esperados do congresso, sobretudo pelas esperadas confidências sobre a TAP e o Aeroporto de Lisboa, e, claro, a relação do administrador com o Primeiro-ministro António Costa e a sua intervenção nas negociações que reverteram para o Estado português a posição acionista no processo de privatização da companhia aérea.