Exportações de componentes automóveis recuam 1,8% para 4.720 M€ até junho

LUSA

As exportações de componentes automóveis caíram 1,8%, entre janeiro e junho, para 4.720 milhões de euros, segundo dados da Associação de Fabricantes para a Indústria Automóvel (AFIA) hoje divulgados.

“[…] As exportações de componentes automóveis no primeiro semestre registaram uma queda de 1,8% face ao acumulado até junho de 2021, atingindo os 4.720 milhões de euros”, indicou, em comunicado, a associação.

As exportações portuguesas de componentes automóveis têm como principal destino a Espanha, com 1.330 milhões de euros, menos 5,2%.

Segue-se a Alemanha com 1.027 milhões de euros (+6,6%), França com 484 milhões de euros (-17,2%), EUA com 283 milhões de euros (+33,8%) e o Reino Unido com 207 milhões de euros (-13,5%).

No total, estes cinco países representam 71% das exportações portuguesas de componentes automóveis.

Em junho, e pelo segundo mês consecutivo, estas exportações recuperaram, apresentando uma subida de 14,5%, face ao mesmo mês de 2021, para 836 milhões de euros.

No segundo trimestre, as exportações avançaram 3,1%, em comparação com igual período de 2021, para 2.325 milhões de euros.

“[…] A indústria automóvel continua a viver uma situação complicada e que surge de uma conjugação de vários fatores, entre os quais destacamos a situação geopolítica relacionada com a guerra na Ucrânia e a tensão entre os EUA e a China, os problemas nas cadeias de abastecimento, que continuam a afetar toda a indústria automóvel, a escassez de semicondutores e outras matérias-primas, a inflação dos custos das matérias-primas, energia e transportes e problemas derivados da covid-19”, apontou.

Os números divulgados pela AFIA têm por base as estatísticas do comércio internacional de bens do Instituto Nacional de Estatística (INE).

Segundo dados desta associação, a indústria de componentes automóveis em Portugal abrange 350 empresas e emprega diretamente 61.000 pessoas.

Esta indústria faturou 10.700 milhões de euros em 2021, com uma quota de exportação superior a 80%.

A indústria de componentes automóveis em Portugal representa 5,2% do Produto Interno Bruto (PIB), 9,1% do emprego da indústria transformadora e 16,1% das exportações nacionais de bens transacionáveis.