TAP está a ver "o que pode ser feito" em relação aos preços para a Madeira

Começou o 1.ª Encontro Internacional de Aviação dos Países Lusófonos, o LusoAvia, organizado por madeirenses.

À margem do congresso, Fernando Pinto, CEO da TAP que é um dos convidados questionado pelos preços da TAP praticados para a Madeira que muito afeta os residentes, garantiu não ter uma "boa notícia", mas que a TAP "tem entendido o problema". "Sabemos que algo tem de ser feito e estamos com criatividade vendo o que pode ser feito, algum tipo de atuação diferenciado pelo menos nas grandes festas e nos períodos mais críticos, principalmente para os estudantes que acho que é um problema mais sério. Os residentes estão de certo forma protegidos. Os estudantes são os mais críticos", referiu, sublinhando contudo que é algo a ser "estudado mas não é para o ano que vem".

Fernando Pinto respondia à crítica deixada por Paulo Neves, deputado madeirense e convidado orador do congresso na qualidade de presidente do IPDAL, que abordou os elevados preços que a TAP leva para a Região.

Patrícia Gouveia, em Lisboa