Coreia quer ligação aérea direta com Portugal e importar vinho da Madeira

A abertura de uma ligação aérea direta entre Portugal e a Coreia permitiria que mais turistas coreanos visitassem a Região Autónoma da Madeira, realçou, esta tarde, o embaixador da República da Coreia, Chul-min Park, no fim de uma reunião com a Associação Comercial e Industrial do Funchal.

Essa hipótese foi um dos assuntos abordados no encontro desta segunda-feira, já que o diplomata lembrou que, "só no ano passado, mais de 100 mil turistas coreanos visitaram Portugal Continental e, entre eles, cerca de 36 mil foram visitar o Santuário de Fátima".

"Por isso", continuou, "estamos a falar também da hipótese de abertura de uma linha aérea direta entre Portugal e a Coreia, porque, se houver essa abertura da linha direta, com certeza também trará para a Madeira esses turistas coreanos que vêm para o Continente".

Outra intenção deste país passa pela "importação do vinho da Madeira para a Coreia", além da possibilidade "de entrar no mercado CPLP (Comunidade dos Países de Língua Portuguesa) em colaboração com as empresas madeirenses", revelou.

Com inúmeras reuniões marcadas para amanhã e depois, com diversas entidades, como o presidente do Governo regional, da Assembleia Legislativa e das Sociedades de Desenvolvimento, o embaixador coreano avançou ainda a pretensão de colaborar com a Universidade da Madeira, em "algum trabalho ou projeto".

Essa parceria decorreria do acordo de geminação que a Madeira celebrou com a ilha de Jeju, recordou.

Sofia Lacerda