Especialistas acreditam que com a Ryanair na Madeira TAP poderá ser relegada para número três

Iolanda Chaves

Especialistas acreditam que "com a entrada da Ryanair no mercado regional madeirense a TAP poderá ser relegada para número três ao nível de companhia que mais passageiros movimenta na Madeira, depois de no terceiro trimestre deste ano ter sido ultrapassada pela easyjet", noticia o Jornal Económico.

“Para um melhor prognóstico, teremos de observar como a easyJet e a Transavia reagirão ao anúncio da Ryanair de modo a protegerem o seu mercado madeirense. Do lado da TAP não se esperam mudanças – continuará a servir os mesmos destinos domésticos – mas sofrerá uma maior pressão em termos tarifários”, escreve o jornal com base num comunicado da SkyExpert.

A agência refere que, perante as declaraçõs, na Assembleia Regional por parte da CEO da TAP, de que as tarifas de mil euros entre Lisboa e o Funchal como sendo consequência da lei da oferta e da procura, a Ryanair vem, precisamente, "alterar também nas rotas domésticas que terão três companhias concorrentes para Lisboa e quatro para o Porto a partir de 2022”.

Os especialistas acrescentam que Ryanair "poderá movimentar cerca de 500 mil passageiros já no próximo ano e que até abril de 2022 a companhia aérea poderá ainda anunciar novos voos para o Funchal que complementarão aqueles operados com os aviões baseados na ilha".

“Numa região onde o turismo representa 26% do PIB regional e emprega mais de 20 mil pessoas, esta notícia representa uma oportunidade de crescimento única. Tipicamente, estes aviões começarão a sua jornada às 6h e terminarão às 23h, realizando, no mínimo, duas viagens de ida e volta para diversas cidades europeias. As tripulações serão igualmente baseadas na ilha e os fornecedores locais contratados terão certamente de aumentar os seus quadros”, sublinham os experts.