BE questiona Governo sobre falta de verbas do Alfeite para pagar subsídios de Natal

Lusa

O BE questionou hoje o Governo sobre que motivos justificam a falta de pagamento do subsídio de Natal aos mais de 400 trabalhadores do Arsenal do Alfeite, e quando é que o executivo pretende “efetuar o pagamento destes montantes”.

De acordo com uma pergunta enviada ao Ministério da Defesa Nacional, através da Assembleia da República, o Bloco de Esquerda considera que a falta de verbas para pagar os subsídios de Natal aos funcionários é “mais um episódio lamentável da história recente” do Arsenal do Alfeite, que suscita “muitíssima preocupação”.

Por isso, o grupo parlamentar do BE interpelou o executivo sobre “que motivos justificam o não-pagamento do subsídio de Natal juntamente coma retribuição do mês de novembro devidos” a estes trabalhadores, e quando “prevê o Governo efetuar o pagamento destes montantes”.

Os bloquistas também querem saber que medidas é que o Governo, liderado pelo socialista António Costa, pretende “tomar para garantir que os futuros salários dos trabalhadores” do Arsenal do Alfeite são pagos “em tempo útil”.

O Ministério da Defesa também foi interpelado sobre se não considera que as estratégias “políticas e financeiras” encetadas “têm sido insuficientes para devolver o Arsenal do Alfeite aos lugares de destaque mundial relativamente à construção, reparação e manutenção naval”.

Questionado hoje pela Lusa, o ministro da Defesa Nacional remeteu para a administração dos estaleiros navais do Arsenal do Alfeite a resolução da falta de verbas para pagar os subsídios de Natal aos mais de 400 trabalhadores.

“O Alfeite tem um problema (financeiro) estrutural grave há cerca de 10 anos. O Conselho de Administração está a encontrar os meios para, dentro dos prazos legais, pagar o subsídio de Natal. Há uma obrigação legal de pagamento dos salários e subsídios e a administração está a identificar os mecanismos para permitir que isso seja efetuado”, disse João Gomes Cravinho em declarações à agência Lusa.

Questionado sobre se podia garantir que os trabalhadores vão receber aquelas remunerações até ao prazo legal de 15 de dezembro, o responsável governamental afirmou: “eu não sou administrador do Alfeite, mas a administração poderá fazer isso [garantir que os subsídios vão ser pagos aos trabalhadores]”.

A administração do Arsenal do Alfeite comunicou na quarta-feira aos trabalhadores que a empresa vive uma situação “crítica” e que falta a verba para o subsídio de Natal, normalmente pago com o salário de novembro, mas garantiu que vai obter liquidez para o pagamento do subsídio de Natal até à data limite legal.

Os órgãos representativos dos trabalhadores enviaram hoje um ofício a Gomes Cravinho pedindo a “intervenção urgente da tutela para que, em articulação com a administração, seja encontrada uma solução célere e duradoura para o financiamento desta entidade no curto e médio prazo”.