Arquipélago da Madeira vai ter Rede de Detetores de Trovoadas

Redação

A Região vai ser dotada de uma Rede de Detetores de Trovoadas, no quadro do programa que visa promover a adaptação às alterações climáticas e a prevenção e gestão de riscos, segundo revelou hoje o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) através de comunicado.

A operação consiste na instalação de quatro detetores de raios LS7002, na Santa/Porto Moniz, Santana, Porto Santo e Selvagens, complementados com sistemas de processamento, arquivo e visualização de raios no Observatório Meteorológico do Funchal e nos Centros Meteorológicos dos Aeroportos da Madeira e de Porto Santo, precia-se na mesma nota.

O custo total desta rede ascende a 383.687,04 euros, sendo que a União Europeia vai apoiar em 287.765,28 euros, fixando-se o apoio financeiro público nacional em 95.921,76 euros.

“Os quatro detetores funcionarão em rede e permitirão avaliar em tempo real, a intensidade e polaridade dos raios através da medição da radiação eletromagnética emitida pelos raios. Recorrendo a métodos de triangulação será possível obter, com boa precisão, a localização do impacto dos raios, no solo.

A eficiência da deteção, num raio da ordem dos 200 km, em torno da Madeira será da ordem de 95% e a precisão da localização dos raios, inferior a 100 m. A rede da RAM, funcionará em conjunto com a rede do Continente, também em fase de reforço e atualização, no âmbito da Operação POSEUR-02-1708-FC-000035 – “Sistemas de previsão, alerta e resposta do clima no Continente’.

A informação, gerada por esta rede de detetores de raios, permitirá conhecer a distribuição geográfica, a evolução dos raios e o conhecimento das condições meteorológicas, em regra adversas, associadas aos padrões dos raios.

Assim, em conjunto com o Radar de Porto Santo, instalado em 2017 no âmbito do Projeto POSEUR-02-17-08-000001, o IPMA passará a ter os mais modernos meios de observação remota na Região Autónoma da Madeira, os quais, certamente, contribuirão para melhorar a vigilância e a previsão meteorológica a muito curto prazo e, consequentemente, a segurança de pessoas e bens.

A atualização do sistema de radiossondagem no Observatório Meteorológico do Funchal, também prevista na presente Operação, será executada durante o mês de julho de 2019. A conclusão física da operação está prevista para finais de outubro do corrente ano.