Neuville vence rali da Córsega graças a furo de Evans no final e lidera Mundial

O belga Thierry Neuville (Hyundai i20) venceu hoje o rali da Córsega já depois de cortar a meta, graças a um furo do britânico Elfyn Evans (Ford Fiesta), que liderava, e assumiu o comando do Mundial.

Neuville, que logo na primeira das duas especiais do dia perdera novamente o comando para Evans por 11,5 segundos, cortou a meta com 3:22.59 horas, convencido que tinha perdido a prova para o piloto da M-Sport, que seria o último a partir para a derradeira especial.

Mas, um furo na roda dianteira direita fez o piloto da Ford perder 1.29,8 minutos, caindo para a terceira posição final.

"Não tinha a certeza do que se estava a passar, mas quando cheguei aqui [ao local do pódio] vi os meus mecânicos e percebi. Lamento pelo Evans, que fez um trabalho incrível, mas nós também estivemos bem, nunca desistimos e também merecíamos a vitória”, disse Thierry Neuville, que já se tinha mostrado resignado com o segundo lugar mal cortou a meta. "Ataquei o máximo que pude, mas fiz um tempo de porcaria", comentara.

Com esta vitória, a 10.ª da carreira, primeira de 2019, o piloto da Hyundai assume o comando do campeonato do mundo, com 82 pontos, até porque o estónio Ott Tanak (Toyota Yaris), anterior comandante, não foi além da sexta posição, depois de também ter sofrido um furo na etapa de sábado.

O estónio minimizou as perdas no campeonato ao ser o segundo na 'power stage' final, atrás do irlandês Kris Meeke (Toyota Yaris), somando, assim, quatro pontos extra para o campeonato.

O francês Sébastien Ogier (Citroën C3) foi, desta forma, o segundo classificado na Córsega (quinto na 'power stage'), ocupando a mesma posição no campeonato, a dois pontos de Neuville.

"Não foi fácil. Só queria terminar o rali. Sabia que não podia fazer nada na 'power stage', pelo que tentei não correr riscos", comentou o francês.

Neuville foi o terceiro vencedor diferente em quatro provas já disputadas, repetindo o triunfo conseguido na Córsega em 2017. No mesmo ano, o belga arrancara das mãos de Elfyn Evans o triunfo no rali da Argentina também na última especial, então por uma diferença de 0,7 segundos, devido a um pequeno erro do britânico.

Em termos de campeonato, o belga da Hyundai tem agora 82 pontos, contra os 80 de Ogier e 77 de Tanak. Elfyn Evans é o quarto, com 43.

No Mundial de Construtores, a Hyundai comanda, com 114 pontos, seguida da Citroën, com 102, e da Toyota que caiu para terceiro, com 97. A M-Sport é a quarta, com 70 pontos.

O campeonato segue agora para o outro lado do Atlântico, onde se disputa o rali da Argentina, de 25 a 28 de abril.