Clubes ameaçam parar competições profissionais de futebol em Portugal

Redação

O presidente do Marítimo, Carlos Pereira, afirmou, esta quarta-feira, em Coimbra, que os clubes da Liga Portuguesa de Futebol Profissional admitem parar as competições profissionais e de formação se não virem satisfeitas as propostas feitas ao Governo relativamente à Lei da Violência e das apostas desportivas.

A possibilidade foi levantada pelo presidente do Marítimo, no final da quarta cimeira de presidentes, que se realizou em Coimbra, não tendo, no entanto, concretizado as críticas. "Não nos revemos na forma como o futebol português anda a ser tratado. Pensamos e ponderamos seriamente parar as competições se, a curto prazo, isto não for uma preocupação governamental", entende.
Em causa está a Lei da Violência no Desporto, cuja proposta governativa não satisfaz os clubes, as taxas pagas nos seguros e as receitas decorrentes das apostas desportivas. No entender de Carlos Pereira, tem havido uma demora por parte do Governo na concretização destas propostas.