Maniche quer mais jogadores do continente a jogar no Camacha

Cláudia Ornelas

Foi para falar sobre projetos relativos não apenas ao mundo de futebol, que Maniche esteve reunido com o presidente do Governo Regional.

O antigo internacional português manifestou vontade de investir na área social. Pretende para o efeito ajudar a fornecer alimentos a famílias mais desfavorecidas e a combater a obesidade, em primeiro lugar no Bairro da Nogueira, na Camacha e em seguida no resto da Região.

“Não vim de passagem, vim para ficar e para deixar a marca na ilha”, referiu aos jornalistas após o encontro.

Tema de conversa foi também o facto do clube que representa só poder ter dois jogadores do continente a jogar, para efeitos de subsídio do Governo Regional. Para Maniche este é um fator que “ deixa alguma preocupação” porque impede um maior investimento no clube.

Consciente de que iria encontrar condicionantes neste aspeto, devido a uma lei constituída em 2014, tinha esperança de mostrar ao Governo que esta não é uma boa solução para quem quer investir na ilha e no clube. A este propósito afirmou que Miguel Albuquerque demonstrou "abertura total para valorizar a ilha e jogadores madeirenses".

Quanto à passagem da Associação Desportiva da Camacha para Sociedade Anónima Desportiva (SAD) o antigo internacional refere que não há pressa, uma vez que “está tudo protocolizado, estudado ao pormenor e aprovado pelos sócios”.

Maniche anunciou também que a “equipa vai ser reforçada, a partir da próxima semana”, manifestando vontade de “ficar numa boa classificação” e de “subir o Camacha à segunda liga”.

Garantindo que vão haver novas contratações, não quis para já avançar com nomes porque alguns jogadores "ainda estão contratualizados com outros clubes e pode um ou outro não conseguir desvincular”, referiu Maniche, informando que na próxima semana esses nomes serão tornados públicos.

Acrescetando que o clube vai organizar uma Assembleia Geral para decidir quem será a pessoa que vai ficar à frente do mesmo, Maniche admitiu que existe a possibilidade de ele próprio vir a desempenhar essa função.