Daniel Ramos com dúvidas em relação à equipa do Paços de Ferreira

Lusa

O treinador do Marítimo, Daniel Ramos, considerou hoje, após a saída de Petit, uma incógnita a equipa do Paços de Ferreira, adversária dos insulares no sábado, em jogo da 18.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol.

Os ‘castores' não vencem há dois meses e meio, numa série que já leva oito jogos, sete no campeonato, o que levou Petit a deixar o comando técnico da equipa.

"Nas mudanças há sempre dúvidas e para os dois lados. Neste momento, não sei qual é a equipa do Paços que vai jogar, de que forma o Paços vai abordar o jogo. O que eu disse à equipa foi para nos prepararmo-nos para qualquer cenário, independentemente do ‘onze' do Paços", afirmou, na conferência de imprensa.

O Marítimo não ganha na Mata Real desde a época 2005/06 [vitória por 2-1], mas Daniel Ramos pretende ver o seu grupo preparado e competente, reforçado com os regressos de Zainadine e de Jean Cléber.

"Nós vamos defender uma forma de jogar e temos também de ter comportamentos do ponto de vista defensivos que controlem o Paços de Ferreira e que consigamos, dessa forma, ser competitivos e competentes no jogo", referiu.

Além do Paços, também o Marítimo chega a esta partida vinda de um ciclo de resultados menos positivos, tendo perdido os últimos três encontros do campeonato. Ainda assim, Daniel Ramos desmente uma má fase e explicou porquê.

"No passado, nós nunca tivemos um ciclo verdadeiramente negativo e acho que também não o estamos a ter. Se analisarmos, perdemos contra o primeiro [FC Porto] e o segundo classificado [Sporting] fora de casa. Quem roubou pontos no campo do Benfica, do FC Porto e do Sporting? Apenas e só os ditos ‘grandes', que empataram entre eles", respondeu.

Com 27 pontos somados ao fim da primeira volta, o técnico ambiciona fazer o melhor trajeto possível na segunda metade da época, embora tenha deixado a garantia de que os madeirenses não são candidatos aos lugares europeus.

"O Marítimo tem um plantel para atingir a manutenção. Ponto final. Neste momento, não tem plantel para atingir as competições europeias. Ponto final. O Marítimo vai lutar pelo melhor, que é conseguir a manutenção o mais rápido possível e a melhor classificação possível", vincou, considerando "injusto" colocar o Marítimo juntamente com outras equipas, que têm "ambições europeias e grandes orçamentos".

Numa semana em que recebeu os primeiros reforços da reabertura do mercado de transferências - o avançado Joel Tadjo e o defesa Rúben Ferreira -, Daniel Ramos espera mais chegadas, além de continuar a apostar na equipa B.

"Todos os reforços que entrarem são bem-vindos. Há um conjunto de jogadores que podem entrar, para posições específicas que pedi. Espero que isso aconteça para termos outras soluções", comentou, referindo ainda que vai fazer um balanço do mercado apenas quando este terminar.

O Marítimo, sexto classificado, com 27 pontos, visita o Paços de Ferreira, 16.º, com 14, pelas 18:15 de sábado, em jogo da 18.ª jornada da I Liga de futebol.