Mundial2022: Félix e Leão marcaram na estreia em Mundiais

LUSA

Os avançados lusos João Félix e Rafael Leão coroaram hoje as suas estreias num campeonato do Mundo com golos, contribuindo para o triunfo de Portugal por 3-2 sobre o Gana, na primeira jornada do Grupo H.

Depois de Cristiano Ronaldo inaugurar o marcador, aos 65 minutos, de penálti, tornando-se o primeiro futebolista a marcar em cinco mundiais, João Félix faturou aos 78 e Rafael Leão aos 80, ambos assistidos por Bruno Fernandes.

Pelo meio, aos 73 minutos, André Ayew ainda empatou a um, e, sobre o final, aos 89, Osman Bukari reduziu, transmitindo grande emoção ao período de descontos, no qual uma grande distração de Diogo Costa quase custou o empate.

Félix, que já tinha estado no Euro2020, em 2021, no qual só foi utilizado na despedida, face à Bélgica (0-1), e Rafael Leão, entrado aos 77 minutos, a substituir Rúben Neves, seguem diretamente para o nono lugar do ‘ranking’ dos marcadores lusos em Mundiais: são agora 16 os jogadores com um tento.

Na frente, ainda permanece o ‘rei’ Eusébio, que soma nove tentos, em apenas seis jogos, todos em 1966, agora apenas mais um do que Cristiano Ronaldo, que soma oito, em 18 embates.

No total, João Félix, jogador do Atlético de Madrid, passou a contar quatro golos, em 25 jogos, enquanto Rafael Leão, futebolista do AC Milan, apontou o primeiro, ao 12.º jogo.

A tabela lusa é liderada de forma destacada por Cristiano Ronaldo, que é o melhor marcador mundial de seleções, agora com 118 golos, em 192 encontros, seguido, muito ao longe, por Pauleta (47 golos) e Eusébio (41).

Quanto a Portugal, tornou-se, ao 31.º jogo, a 17.ª seleção a superar os 50 golos em Mundiais, parando nos 52: a lista é liderada pelo Brasil, com 229 (109 encontros), seguido da Alemanha, com 227 (110), e da Argentina, com 138 (82).

A seleção lusa não esteve nas primeiras sete edições do Mundial (1930, 1934, 1938, 1950, 1954, 1958 e 1962), para, na estreia, em 1966, não necessitar sequer de um minuto para conseguir um golo.

Em 13 de julho de 1966, no Estádio Old Trafford, em Manchester, José Augusto marcou o primeiro tento face à Hungria, que Portugal venceu por 3-1.

Nessa primeira presença, Eusébio, que só não faturou na estreia, marcou nove golos, que lhe deram o título de melhor marcador da prova e o fazem ser ainda, 56 anos depois, o melhor marcador luso em Mundiais.