Direção do Marítimo diz que está disponível para esclarecimentos, desde que legítimos

Hélder Teixeira

Em comunicado emitido, a direção do Club Sport Marítimo afirma que se encontra totalmente disponível para prestar quaisquer esclarecimentos sobre a atividade do clube, desde que os mesmos sejam legítimos quanto à forma, conteúdo e fins.


Este comunicado surge na sequência do pedido de esclarecimentos subscrito por três sócios, promotores do Movimento Salvar Marítimo, sobre a atual gestão do clube.


O comunicado, assinado pelo presidente Rui Fontes, afirma que a direção do clube não tem legitimidade para prestar esclarecimentos sobre a atividade social da Marítimo da Madeira Futebol SAD, "muito menos a quem não é acionista desta", uma vez que eventuais informações podem "implicar a violação de segredos comerciais e/ou desportivos, cláusulas contratuais de confidencialidade e dados pessoais de terceiros".


"Os esclarecimentos relativos à actividade do CS Marítimo são prestados no local próprio e sob a forma devida, e destinam-se, exclusivamente, a quem sejam prestados, não servindo (nem devendo servir) para alimentar discussões e pretensões fomentadas nas redes sociais, na comunicação social e/ou em quaisquer outros fóruns estranhos à atividade e à orgânica do clube, e que que apenas contribuem para fomentar a desunião entre os Sócios e Adeptos do Clube", podia ler-se


A direção maritimista aproveita ainda para clarificar "que não lhe cabe responder a questões que já contêm, em sim mesmas, as respectivas respostas, ou que se limitam a traduzir desejos - mal contidos, ou mal disfarçados - de quem as formula".


E prossegue afirmando que "não pretende alimentar os cenários catastrofistas e derrotistas, aparentemente, desejados por alguns". O elenco diretivo garante que nunca responderá a questões do género: "Qual o nível de perda de receita com uma possível descida de divisão? Está o clube preparado para esse impacto? Que consequências podem advir para o universo Marítimo?".


Rui Fontes escreve ainda que "a direção legitimamente eleita pelos sócios recusa-se a 'deitar a toalha ao chão'" e que tudo fará para que a situação da equipa sénior de futebol seja "rapidamente invertida". Para esse efeito a direção pede "colaboração, apoio, dedicação e a união de todos aqueles que realmente amam o Club Sport Marítimo".


Recorde-se que o Movimento Salvar Marítimo já reuniu as assinaturas necessárias, segundo os estatutos do clube, para que o pedido de uma assembleia geral extraordinária seja aceite.