Broetto afasta cenário de nervosismo no Marítimo

José Pedro Gomes, em Lousada

Com a participação na Liga Europa já em contagem decrescente, o guarda-redes Rafael Broetto garantiu que o grupo está sereno no toca esse importante desafio, vincando que o grupo se tem preparado bem para esse primeiro duelo oficial da temporada.

“É natural que haja alguma ansiedade, mas porque todos querem participa na Liga Europa, mas não há nervosismo porque a equipa se tem preparado bem, dia após dia, e está confiante nas suas capacidades”, vincou o guardião brasileiro.

A cimentar essa confiança está a prestação do plantel nos jogos de preparação realizados na última semana em Lousada, onde a equipa cumpre o estágio, e que Rafael Broetto aponta como positivos.

“Estes jogos têm sido bons, porque apesar de haver pouco tempo para preparar a Liga Europa, a equipa tem evoluído bastante”, disse o guarda-redes, completando: “Claro que há sempre coisas a melhorar, e ainda temos dois jogos de preparação (Desportivo de Chaves e Las Palmas para isso) para evoluir”.

Broetto considerou que o estágio no norte do país foi importante “para o entrosamento dos muitos jogadores novos que entraram”, concordou que o setor defensivo tem mostrado a maior coesão.

“Já o ano passado foi um dos pontos fortes da equipa, pois não sofremos muitos golos. É importante que isso se mantenha, sobretudo neste início de temporada, para, depois, evoluirmos no capítulo ofensivo e da concretização”.

Na temporada passada, o guarda-redes brasileiro acabou por não ser um dos mais utilizados, e apesar de esperar “ter mais oportunidades nesta nova época”, lembrou que o Marítimo está bem servido na baliza.

“O Charles fez excelentes jogos no anterior campeonato, o Amir tem dado o melhor, e eu também estou a trabalhar para corresponder, agora decisão. Agora será com mister a escolher, mas o importante é que quem jogar represente bem a equipa”, disse Broetto, reconhecendo que nos jogos de preparação efetuados em Lousada todos têm tido oportunidades para mostrarem qualidades e provarem que estão prontos a responder se forem chamados”.