Realizador madeirense Eduardo Costa vence prémio no Figueira Film Art 2017 com 'Rota do Contrabando'

'Melhor Curta-Metragem Documental'

O filme 'Rota do Contrabando', uma obra do realizador madeirense Eduardo Costa, em coprodução com o município da Ponta do Sol, conquistou o prémio de 'Melhor Curta-Metragem Documental' no festival internacional de cinema Figueira Film Art 2017.

Em declarações ao JM, Eduardo Costa disse que, desde o primeiro momento, sempre acreditou na força deste projeto, produzido para o Festival Aqui Acolá 2017, e confidenciou ter depositado esperança neste festival de cinema. “Desde o inicio, tive grandes referências positivas em relação a este documentário, inclusive por parte de algumas pessoas ligadas à cinematografia, o que me fez acreditar que seria bem aceite. O público também sempre elogiou o projeto, por isso, acreditei neste festival, tal como acredito noutros a que ainda iremos concorrer”, referiu, acrescentando que as expetativas em relação a outra das suas obras, 'A Revolta do Leite', são, pelas mesmas razões, igualmente elevadas.

Eduardo Costa não poupou nos agradecimentos, quer à sua equipa: “somos poucos mas somos uma grande equipa”, sublinhou, quer a todos os que contribuíram para tornar o sonho realidade. “Agradeço à organização do Figueira Film Art, ao município da Ponta do Sol, por ter patrocinado o filme, à Associação Retoiça, ao Grupo de Folclore da Ponta do Sol e ao Festival Aqui Acolá”.

Segundo um texto publicado na sua página de Facebook, após ter tomado conhecimento da distinção, o realizador considera que 'Rota do Contrabando' constitui “uma oportunidade de transmitir a história da Região através de um documentário etnográfico e único para todas as gerações". "Bem hajam os que nos apoiaram e contribuíram para este momento vitorioso e cheio de emoção. Obrigado a todos pela confiança depositada no nosso trabalho, na nossa equipa e no nosso projeto”, lê-se no mesmo texto.

Susana de Figueiredo