O que é ser racional?

Hoje em dia, mais do que nunca, sinto que estou a crescer enquanto ser humano. Por mais assentes que estivessem os meus valores e o meu caráter, hoje, consigo perspetivar através dos outros aquilo que sei que eu nunca quererei ser. Compaixão, humildade, e essencialmente empatia, são caraterísticas que devem ser resguardadas por todos nós – seres humanos. Num cenário social e mundial semelhante ao que agora vivemos só o bom senso, e a humanidade, podem salvar alguma da esperança que sobre para nós.

Efetivamente, aquilo que distingue o ser humano de qualquer outro animal, além da sua capacidade evolutiva e de adaptação, é a racionalidade. Todavia, o que representa verdadeiramente ser-se um “ser racional?”. Questiono-me se há quem pense que ser racional é ter razão sobre tudo… Ser racional é ser o dono da razão? Na prática, efetivamente, tudo aquilo que fosse dito por determinada pessoa representasse uma verdade dogmática, que ninguém poderia contrariar. Será isso? Não me parece, muito embora pessoas com bom senso claramente saibam que isso não é verdade, muitas vezes parece que há pessoas que não conseguem ver a realidade diante dos próprios olhos.

O ser racional é dotado da capacidade de pensar, agir e refletir sobre as ações que toma. Com intuito, com tempo e com sensatez. Ser racional é saber falar, mas também saber ouvir. É ver, mas saber quando intervir. É estar presente, mas saber quando não deve estar. Ser racional não é ter a razão sempre – é saber que nem sempre se tem razão, mas que não há problema admitir que podem existir razões melhores que as nossas. Mais objetivas, mais promissoras e essencialmente mais justas do que as nossas.

Se nos debruçarmos por momentos sobre a atual situação do nosso país, observamos milhares – ou milhões – de pessoas mergulhadas em incerteza, ansiedade e medo. Repensam-se planos, esperam-se pronunciamentos. Aguarda-se uma notícia que possa mudar a vida de todos os cidadãos do mundo, ou que a mantenha por instantes igual. Não se espera nada, mas ao mesmo tempo espera-se tudo. E porque razão? Não sei ao certo os motivos de ninguém, nem aqui foco nenhum culpado, muito menos nenhuma vítima, mas tenho a certeza de que se este mundo fosse mais justo, e bem menos egocêntrico, não viveríamos isto “outra vez”.

Talvez seja uma utopia da minha parte acreditar em pessoas justas, em um mundo mais equilibrado e em pessoas que lutem em prol das outras. Sim, talvez seja, mas como se lê por aí “é o sonho que comanda a vida”.

Bonito, bonito, seria vivermos num mundo onde ser orgulhoso não alimentasse altos egos. Bonito, bonito, seria que pudéssemos todos ver nas ações do outro o bem e não o mal. Bonito, bonito, seria se todos prezássemos mais o positivo, do que o negativo. Bonito, na verdade, seria se a paz fosse o principal objetivo deste nosso mundo, quando parece que o “poder” só abraça mais o mal, do que bem.