Um líder – assume-se!

Hoje é o primeiro dia do ano, é um dia de reflexão do passado e de perspetiva do futuro. Esta madrugada passada, comemos 12 passas, uma por cada mês do ano na expetativa que 2020 seja melhor que 2019.

2019 trouxe para todos nós um Cardeal, trouxe um Governo de coligação, infelizmente, trouxe o aeroporto fechado demasiadas vezes, acidentes que provocaram a morte de várias pessoas, nomeadamente turistas, continuamos com a violência e homicídios em alta.

2020 poderá trazer novas perspetivas: uma vida melhor para todos, em especial a nível de saúde, a saúde é a pedra basilar nas nossas vidas, não precisamos de muito mais. Pois, com a mesma, conseguimos ter força para arregaçar as mangas e trabalhar e conquistar tudo o que se pretende, isto podia ser uma perspetiva coaching e de vendedor de banha da cobra, pois todos nós sabemos que, além da saúde, precisamos de um bocadinho de sorte. Não é preciso muita, é só um bocadinho. É tudo isto que peço para mim e para os meus.

As perspetivas ou expetativas que muitos demoram a perceber. Recentemente vi o Filme da Netflix de Fernando Meirelles: “Dois Papas”. Neste filme baseado em factos reais, pelo menos é assim que é apresentado, independentemente dos factos existentes ou pormenores serem ou não reais, há vários pontos que nos fazem refletir.
Nós, povo, quando olhámos para o Papa Francisco ou o Papa Bento XVI vemos os contrastes entre ambos, mas em ambos há uma certeza, ambos são genuínos, ambos acreditam naquilo que transparecem. Não há um ponto intermédio. É nisto que nós, enquanto cidadãos, enquanto seres humanos, procuramos, procuramos líderes que não estejam no limbo da corda.

Que não são falsos genuínos, não queremos artifícios daqueles que não são juntos do povo e que querem transparecer que são. Ainda recentemente, o nosso Ronaldo dizia no Dubai: “humildade em demasia é vaidade” – esta frase não é em exclusivo dele, mas um saber popular que deve e pode ser aplicado em todas as áreas. Não podemos querer que alguém que se mostre junto da família, quando, na realidade, pelos diversos atos, nunca assim foi. Não se pode querer que alguém diga que é a favor da justiça, mas, ao mesmo tempo, pactue com a corrupção, dependendo do local em que se encontre, eis aí que aparece o Chega. Não se pode ser a favor e contra o Brexit, tal como Corbyn queria transparecer. Não se pode ser a favor e contra, ninguém vive no limbo.

Esta é a demonstração clara de que o que queremos são líderes convictos e genuínos. A falta de líderes europeus não é por acaso, o acaso é com as redes sociais, alguns acharem que podem ser o que não são na realidade. Nós sabemos!

Amigos, aproveito para desejar que este dia seja o primeiro das 366 oportunidades que teremos para mudar o Mundo para um lugar melhor, porque a mudança do Mundo começa dentro de nós, em primeiro lugar. É verdade, só podia acabar o artigo como comecei, com alguma demagogia, que contraria tudo o que escrevi e daquilo que não sou, um demagogo.