A mudança deve começar agora

Hoje não quero falar sobre nenhum tema. Nem idealizar conceitos, histórias e pensamentos que a minha mente idealiza. Hoje, como acho que nunca antes o fiz (um cumprimento à minha memória que já não é a mesma), quero só agradecer… e tentar mudar, por mim, pelo nosso planeta. Gostava que todos, assim como eu, pudessem parar um pouco a rotina maluca que é esta vida e agradecer. Recentemente apercebi-me que o tempo não é o nosso melhor amigo e que podemos ser facilmente iludidos na perceção do tempo que passa. Que passa, mas que também fica e é nos momentos em que o tempo é o presente que temos de pensar. Eu quero agradecer por ter vida, por ter saúde, por poder dar liberdade e asas às minhas ideias, por poder pagar as minhas contas, mesmo que para ter tudo isto tenha de lutar. Afinal, tudo o que é conseguido com esforço vale a pena. Em especial, quero agradecer ao planeta terra que nos abriga.

Para termos tudo aquilo que temos, para sermos quem somos, o planeta Terra teve de ser sacrificado. Fala-se em aquecimento global, em um oceano em que o plástico existe em uma quantidade tão absurda que os peixinhos, as baleias, os golfinhos, estão a ser sacrificados pela maldade humana. Fala-se na necessidade de modificar hábitos, onde uma cultura enraizada no consumo de alimentos industriais tende a persistir. Fala-se em andar mais a pé do que de carro; em fazer escolhas conscientes e sustentáveis. Fala-se cada vez mais na urgência em entender-se que o futuro já está aqui, mas ao mesmo tempo parece que nos fazemos de surdos a esta necessidade de mudança. E escrevo sobre isto consciente de que eu mesma tenha modificações nos meus hábitos, mas tenho pessoas ao meu redor que servem de exemplos claros, dedicados e conscientes da urgência que existe nesta mudança.

Não. Não é fácil mudar mentalidades, alterarem-se hábitos. Mas é fácil tirarmos cinco minutinhos do nosso dia para pelo menos ouvir, pesquisar e procurar entender que não é através da insistência em hábitos antigos (que só tendem a piorar o estado atual do nosso meio ambiente) que se poderá conseguir mudar o legado dos nossos jovens de hoje e das gerações que estão por vir. Hoje, mais do que nunca, quero tentar chegar até quem lê este texto para que, assim como eu, tentem ser mais conscientes. Toda e qualquer mudança ajuda. Não posso falar em informações específicas porque não estou informada devidamente sobre o assunto, mas quero saber mais para poder fazer a minha parte. Um pouco pelo mundo todo já se começa a fazer sentir esta energia e mudanças que tendem reverter este processo. Nós, por mais pequena que possamos achar ser a nossa contribuição, temos as armas necessárias para tentar mudar alguma coisa. Por mínima que seja, faz a diferença. Por isso, e para termos possibilidade de aproveitar o facto de termos saúde e podermos viver a nossa rotina maluca, agradeçamos ao planeta Terra por nos permitir viver. Mas mais do que isso façamos por ele o que ele fez por nós: dar-lhe a vida que ele merece, numa altura em que o seu (e o nosso) futuro está comprometido.