O feitiço pode voltar-se contra o feiticeiro

Nestes últimos dias, temos vivido um grande espalhafato com alguma pseudoesquerda a querer que os vizinhos decidam o que nós podemos ou não fazer com o nosso cantinho, que se adquiriu com muito sacrifício.

Vamos a um exemplo hipotético, claro, todas estas palavras são mera ficção, nunca aconteceram na realidade, muito menos acontecerão.

Hipoteticamente temos um líder, qualquer líder, que está emigrado, dizendo que defende uma província qualquer, isto a seu ver. E, de vez em quando, sai lá da metrópole e aloja-se numa casa, que achava que era sua por usucapião. Mas não passa disso, acha e acha. A verdade é que não existe essa província, a metrópole já ninguém lhe liga, e a casa, na verdade, nem é sua. Ele só lá vai passar uns dias, e isso é alojamento local. Por esse motivo, está na altura de perguntar aos vizinhos, será que ele pode continuar a fazer essas viagenzinhas com amigos e achar-se dono da casa?

Consta que os vizinhos já andam meio chateados, aquilo é um vai e vem de entra e saí. Ele diz: “trago notícias da metrópole para a província” e há uns vizinhos, um pelo menos, que gosta da ramboia, que ameaça demitir-se do condomínio se o condómino lá de Lisboa vier dar ordem para este condomínio privado de meia dúzia que decide quem arrenda e quem não arrenda!

Já os outros vizinhos nem ligam, até acham piada ao barulho que este turista faz quando chega à sua dita província, claro para usufruir de alojamento privado.

Pronto, feita esta “estória”, vamos à parte concreta. Com o turismo a bater records diários, semanais, agora inconstitucionalmente, acham que além das autarquias, das finanças e mais uma data de caixeiros-viajantes, agora teremos que esperar que um vizinho qualquer que esteja de bom humor para deixar ou não que eu arrende a minha casa ao dia, à hora ou ao minuto. De facto… Isto é querer acabar com um pequeno rendimento que alguns portugueses que investiram o seu dinheiro, aquele que conseguiram tirar a tempo dos bancos que faliram, e compraram propriedades e agora arrendam como alojamento local. Será isto ilegal? É claro que não, ilegal é pedir o consentimento de vizinhos para o posso fazer na minha casa. Mas aquele turista que vem à província quer beneficiar as grandes empresas, os grandes grupos hoteleiros. Que esquerda é esta? Ah… Esse turista nunca foi de esquerda, sempre foi de direita, por isso o seu adversário é o responsável pelo condomínio da casa onde ele faz alojamento local.