Quanto tempo temos?

Quem somos nós dentro do tempo deste pequeno e grande mundo?

O que nos move? O que nos fascina? O que nos faz levantar a cada manhã?

Como ocupamos o nosso precioso tempo? Como lidamos com ele?

De que forma interagimos com os outros? Quais são as nossas reações com as pessoas?

Ponderamos antes de falar? Motivamo-nos diariamente a sermos melhores?

Certo dia li por aí algo que me fez pensar mais sobre as questões da vida. Sejam elas mundanas ou não. A frase dizia qualquer coisa como “O amanhã é um dia a menos ou dia a mais na tua vida?”. Sem saber bem a razão, esta frase fez accionar mil e um alertas vermelhos no meu cérebro. De que forma vejo eu o tempo que a vida me dá? Ou o tempo que ainda tenho nesta vida? Estas questões geraram outras que deram origem a sub questões que hoje me fazem refletir sobre a forma como vivo. Sobre a forma como me vejo, sobre a forma como sou.

Se o amanhã é um dia a mais na minha vida, estarei eu a aproveitá-la ao máximo? Se o amanhã é um dia a menos, estarei eu a viver suficiente bem para fazer valer a pena o tempo que a vida me dá? Talvez esta frase levante várias interpretações e cada qual direciona o seu pensamento para o lado que mais lhe convém, mas eu encarei esta frase como alerta para perspetivar o “tempo” com outros olhos.

Entender que o amanhã existe como um dia a menos na minha vida fez-me perceber o quão necessário era rever prioridades. Por vezes, é fácil cair na rotina e aceitar o mínimo que temos. Afinal, nem sempre é fácil corrermos atrás dos nossos sonhos e conseguir lidar com a azáfama diária. Perceber que o relógio não espera que eu arranje “tempo” para fazer as coisas que quero, e o que me faz feliz, fez com que eu passasse a equilibrar a minha vida. A tentar conhecer-me ao máximo e a selecionar tudo o que faço de forma a  maximizar efetivamente a procura pela felicidade.

Não preciso de reservar um dia para ser feliz quando posso ser feliz nos detalhes mínimos desta vida. Com as pequenas coisas. Nos momentos mais improvisados. O que faz valer a vida, na minha sensata opinião, é tudo aquilo que faz o nosso coração palpitar e tudo o que faz o nosso sorriso surgir.

Ao tirar um tempinho para refletir sobre as questões da minha vida, descobri que o tempo que temos nesta vida é o tempo que cada um de nós opta por reservar para si mesmo.