Venezuela: Reparação de cabo submarino deixa país sem acesso à rede global da Internet

Lusa

As principais operadoras de Internet da Venezuela, públicas e privadas, estão desde as primeiras horas de hoje sem serviço, devido à reparação de um cabo submarino que liga este país da América Latina ao resto do mundo.

A reparação, cujos trabalhos começaram pelas 08:00 locais (12:00 em Portugal), deverá estar concluída pelas 15:00 locais (19:00 em Lisboa), e tem lugar depois de o fornecedor internacional Century Link ter informado sobre uma falha no cabo submarino entre Panamá e Sains Croix (Ilhas Virgens, EUA).

As principais operadoras públicas e privadas da Venezuela advertiram, através das redes sociais, que o serviço seria afetado por uma "manutenção programada".

"A CANTV informa os seus utilizadores de que este domingo, 1 de dezembro, um dos seus fornecedores internacionais realizará uma manutenção programada num dos cabos submarinos" que permitem ao país aceder à rede global, anunciou a principal operadora pública da através do Twitter.

"Os trabalhos a realizar pelo fornecedor externo apontam para a reparação de uma avaria registada em águas internacionais, o que poderá gerar degradação do serviço de navegação na Internet", precisou a CANTV, numa nova mensagem.

As operadoras privadas Movistar, NetUno e Inter, por seu lado, anunciaram que o serviço de acesso à Internet seria "suspenso" durante a "manutenção".

Apesar de as empresas venezuelanas indicarem que os serviços nacionais, internos, dentro do país, estariam ativos, as páginas 'web' de alguns bancos não permitem visualizar as contas e nem o acesso aos instrumentos bancários dos clientes.

Entretanto, a Netblocks, organização não governamental que que monitoriza o acesso e a cibersegurança, em termos globais, confirmou, a inacessibilidade.

"Os dados de rede do observatório da NetBlocks mostram perda total ou parcial de conectividade para a maioria dos operadores de serviços na Venezuela", escreveu na sua página 'web'.

No Twitter, a organização publicou: "Confirmado: A maioria dos operadores de Internet, privados, da Venezuela, estão inacessíveis a partir do estrangeiro, desde as 09:00 locais [13:00 em Lisboa], devido a reparações programadas de cabos submarinos".

A Netblocks acrescenta que "dados em tempo real, sobre a rede, mostram que a operadora estatal CANTV não foi afetado", "assim como a operadora Digitel".

Na Venezuela são frequentes as queixas dos utilizadores de problemas com a Internet, como lentidão, intermitência e bloqueio de acessos a endereços da rede.

Há vários meses que os utilizadores deixaram de ter acesso às suas contas de 'email' da CANTV, a principal operadora estatal do país.

A oposição venezuelana tem denunciado frequentemente quedas no acesso à Internet, quando políticos oposicionistas falam ao país através das redes sociais e do Periscope TV.