África do Sul cria mais espaços para guardar resíduos nucleares

Lusa

A África do Sul começou a criar mais espaços para armazenar resíduos radioativos uma vez que a central nuclear estará lotada no próximo ano, revelou hoje a empresa sul-africana de eletricidade Eskom.

“Os reservatórios de combustível usado [estarão] praticamente cheios em 2020, e esta é a razão por que foi lançado um projeto para criar espaços adicionais”, declarou a Eskom em comunicado.

A empresa de energia acrescentou que uma parte dos resíduos radiativos vai começar a ser transferida para outros sistemas de armazenamento, segundo o portal on-line Folha de Maputo.

A África do Sul é o único país do continente africano que que usa a energia nuclear como um complemento na produção de eletricidade.

A estação de energia nuclear Koeberg, situada a 30 quilómetros da Cidade do Cabo, possui dois reatores e produz mais de 1.860 megawatts de energia, tornando-a responsável por 4% da energia total do país.

Atualmente, 90% da eletricidade produzida no país vem das centrais de carvão.