Venezuela: Parlamento aprova proposta que condena perseguição a deputados

Lusa

A Assembleia Nacional (AN) da Venezuela, onde a oposição é maioria, aprovou hoje uma proposta a condenar a perseguição política do regime contra deputados opositores.

A aprovação ocorre depois de a Assembleia Constituinte (composta unicamente por simpatizantes do regime), que a oposição não reconhece, ter levantado a imunidade parlamentar do deputado Juan Pablo Guanipa e por se completarem dois anos desde que Freddy Guevara, perante ameaças do regime, se refugiou na Embaixada do Chile em Caracas, onde permanece.

Durante o debate na Assembleia Nacional, o deputado Avílio Troconiz denunciou que o "regime tenta desmembrar a AN através da perseguição de deputados”.

Já a deputada Delza Solórzando explicou que quando um deputado é atacado também o são os eleitores que votaram nele.

"Este regime não perdoa a Juan Pablo Guanipa que não se ajoelhou perante a fraudulenta constituinte cubana (Assembleia Constituinte) que inventaram para subjugar o parlamento", disse.

O deputado lusodescendente Manuel Teixeira sublinhou que os parlamentares "podem ter diferenças nos discursos e posições políticas, mas jamais poderão usar isso (diferenças) para perseguir".

"Não devemos permitir que isto continue a acontecer no país. A imunidade parlamentar incomoda o regime, mas no futuro essa imunidade parlamentar poderá servir para protegê-los (deputados do regime) também", frisou.

Pelo menos 36 deputados venezuelanos (entre principais e suplentes) viram levantada a sua imunidade parlamentar desde 2015.