Líder do partido da oposição da África do Sul demite-se

José Luís da Silva – Correspondente em Joanesburgo ( África do Sul )

Mmusi Maimane, líder do Democratic Alliance (DA ), o maior partido oficial da oposição da África do Sul, confirmou esta tarde a sua demissão , após quatro anos ao leme do partido.

Durante uma conferência de imprensa em Bruma Lake, Joanesburgo, Maimane disse que se preparou para libertar a África do Sul da liderança opressiva do ANC, e que foi o amor à África do Sul que o levou a abraçar a vida política, apesar de não ser político.

Entre várias considerações que teceu relativas à sua demissão, disse ter concluído que o DA não é o veículo para crirar uma África do Sul para todos os que vivem nela, porém, decidiu manter-se como deputado à Assembleia Nacional até final do ano, altura em que deverá realizar-se o congresso eletivo do partido.

Maimane afirmou categoricamente que o DA não é a casa para racistas e lamentou que tenha sido tratado injustamente pelo mesmo. Na política há tempo para estar e tempo para partir. Afirmou que não fará “explodir o seu partido“, mas disse ter chegado a altura de reconstruir a sua vida , o que não será fácil na sua idade e com a sua “complexão “. Maimane disse que a “emanicipação dos negros sul africanos não é a escravização dos brancos sul africanos“.

O JM tem constatado que neste país, residência de milhares de madeirenses, a verdadeira oposição ou confronto político surge no seio dos próprios partidos através de discussões internas, mas não propriamente através do combate entre os partidos.

Disso mesmo é um exemplo as oposições internas no partido governamental que têm tido repercussões negativas na governação da República da África do Sul.