Venezuela: Supremo Tribunal ordena levar três deputados opositores a julgamento por traição à pátria

Lusa

O Supremo Tribunal de Justiça (STJ) da Venezuela ordenou que sejam submetidos a julgamento três deputados opositores acusados de cometer traição à pátria, entre outros delitos.

Num comunicado divulgado em Caracas, o STJ explica que se trata dos deputados da Assembleia Nacional da Venezuela (onde a oposição detém a maioria) Juan Pablo Garcia Canales, José Ángel Guerra Brito e Tomás Guanipa Villalobos.

A decisão do STJ tem por base um pedido feito pelo procurador-geral da Venezuela, designado pela Assembleia Constituinte (composta unicamente por simpatizantes do regime), Tareck William Saab.

Os deputados vão responder também pelos delitos de "conspiração, instigação à insurreição, rebelião civil, acordo para cometer delito, usurpação de funções, instigação pública a desobedecer as leis e ódio contínuo".

O deputado Juan Guerra é acusado de, a 30 de abril último, acompanhar o presidente do parlamento, o opositor Juan Guaidó, até às proximidades da Base Aérea de La Carlota, onde um grupo de militares declaram desconhecer a autoridade do Presidente, Nicolás Maduro, e chamaram a população a sair às ruas a defender a oposição.

Por outro lado, segundo a imprensa venezuelana, Tomás Guanipa é investigado pelo falido atentado de 04 de agosto de 2018, dia em que um drone explodiu na Avenida Bolívar de Caracas, durante um ato de aniversário da Guarda Nacional Bolivariana (polícia militar).

A explosão teve lugar a escassos metros do palco onde se encontrava o Presidente Maduro, vários membros do seu Governo, representantes das Forças Armadas e de distintos organismos públicos venezuelanos.

O STJ ordena que seja enviada uma cópia da decisão a vários organismos, entre eles a Assembleia Constituinte.