Manuela Aguiar lamenta que não haja uma federação internacional para os emigrantes

Alberto Pita

Manuela Aguiar, antiga secretária de Estado da Emigração e Comunidades Portuguesas, destacou hoje o papel do movimento associativo enquanto forma de integração dos emigrantes nas comunidades de acolhimento.

Dando o exemplo francês, país para onde foi “90%” da emigração para a Europa e onde houve uma “fantástica integração”, Manuela Aguiar mencionou o papel que hoje os lusodescendentes têm na sociedade francesa, transversal a todos os setores, ocupando altos cargos políticos e empresariais, apesar dos pais terem emigrado com pouca escolaridade.

“Os próprios franceses dizem que é a melhor das integrações”, disse, aludindo ao modo pacífico e de sucesso como a comunidade se entrosou com os locais.

Não obstante, Manuela Aguiar lamentou, por outro lado, que Portugal seja o único país europeu com grandes comunidades emigrantes que não tenha uma federação internacional.

O Conselho das Comunidades é um órgão consultivo, mas a federação internacional também teria um papel mais representativo dos emigrantes espalhados pelo mundo, defendeu.