Venezuela: Inflação em abril nos 44%, elevando para 665,9% valor acumulado desde janeiro

Lusa

Os preços dos produtos na Venezuela subiram 44% no passado mês de abril, elevando para 665,9% a inflação acumulada desde janeiro de 2019, segundo dados da Assembleia Nacional (parlamento), onde a oposição detém a maioria.

O registo inflacionário foi divulgado pela Comissão de Finanças e Desenvolvimento Económico do parlamento, que insiste que "reflete um comportamento hiperinflacionário, nunca visto" no país.

Os dados dão conta que a inflação homóloga (abril de 2018 - abril de 2019) é de 1.304.404,6%, sendo os alimentos, produtos e serviços os que mais subiram de preço, dificultando a capacidade dos venezuelanos para os adquirirem.

Janeiro foi o mês de 2019 com maior inflação (191,6%), seguido por fevereiro (53,7%). Em março os dados registados foram de 18,1%.

O salário mínimo mensal, atual, dos venezuelanos é de 40 mil bolívares soberanos (equivalentes a 6,84 euros), num país onde um litro de óleo ronda os 25 mil (4,27 euros), uma sopa 10 mil (1,71 euros), um quilograma de massa 14 mil (2,39 euros) e uma lata de atum das mais pequenas seis mil (1,02 euros).

A maioria dos preços dos produtos que se comercializam na Venezuela são afixados em dólares norte-americanos e alguns deles registam também inflação nessa moeda.