Venezuela: Paraguai rompe relações diplomáticas com a Caracas

O presidente do Paraguai, Mário Abdo Benítez, anunciou hoje que o seu Governo decidiu romper relações diplomáticas com a Venezuela e encerrar a embaixada paraguaia em Caracas.

A decisão teve lugar após a tomada de posse, hoje, de Nicolás Maduro para um novo mandato como Presidente da Venezuela (2019 - 2025).

“Decidimos o encerramento da nossa embaixada e a retirada imediata do pessoal diplomático paraguaio acreditado no país. Igualmente se dará um prazo aceitável para que se retire o pessoal diplomático venezuelano do território nacional, com sujeição ao disposto no artigo 45 da Convenção de Viena", lê-se num comunicado oficial publicado na conta da Presidência do Paraguai no Twitter.

"O Paraguai reafirma a sua condenação à rutura da ordem constitucional e do Estado de Direito na República Bolivariana da Venezuela, dando pleno apoio e reconhecimento à Assembleia Nacional, eleita legitimamente em dezembro de 2015", acrescenta.

O documento sublinha que o Paraguai tem advogado "em todas as instâncias multilaterais" por "uma saída pacífica e democrática para a crise política, económica, social e humanitária na Venezuela".

"Temo-nos somado aos esforços para conseguir um diálogo efetivo entre o Governo de Nicolás Maduro e os diversos setores políticos da oposição. No entanto, constata que todas estas iniciativas fracassaram e que, após umas eleições ilegítimas e fraudulentas, o senhor Maduro voltou a assumir a presidência", explica.

O comunicado explica que com este procedimento o Paraguai "no exercício das suas atribuições constitucionais e de soberania nacional, adotou a decisão de romper relações diplomáticas com a República Bolivariana da Venezuela".

O Paraguai, adianta, "resolveu suspender, a partir desta data, a aplicação do Acordo para a Supressão de Vistos de Passaportes Diplomáticos, Oficiais e de Serviço" e explica que esta decisão não afeta o povo venezuelano mas única e exclusivamente os funcionários de um governo cuja legitimidade o Paraguai não reconhece.

O comunicado conclui afirmando que o Paraguai expressa a sua solidariedade ao povo venezuelano e reitera a sua melhor disposição para continuar a apoiar todas as iniciativas políticas e diplomáticas que promovam o restabelecimento do Estado de Direito, da ordem democrática e do respeito pelos direitos humanos na Venezuela.