Emigrante português assassinado na África do Sul

José Luís da Silva – Correspondente em Joanesburgo (África do Sul)

António Vieira, comerciante de 80 anos, natural de Pombal, distrito de Leiria, foi assassinado, hoje, às 08:00 (07:00 RAM) quando entrava para o seu escritório.

Ao JM, o detetive Laubsher, investigador deste homicídio, disse que um táxi com cinco ocupantes se dirigiu ao parque de estacionamento da estação de serviço para abastecimento de combustíveis, na Ernest Oppenheimer ,Bedforview, Joanesburgo.

Dois dos ocupantes mantiveram-se no interior do veículo enquanto outros três se dirigiram para o interior da pizzeria tendo pedido três pizzas.

António Vieira que acabava de chegar naquele preciso momento, disse aos malfeitores que o estabelecimento devido às leis do “lockdown” não estava autorizado a operar.

Ato contínuo, os três meliantes, um deles armado, apontou a arma que empunhava, ordenando António Vieira e um empregado de limpeza que encontrava ali, para se dirigirem para o escritório.

Uma vez no escritório, ouviram-se alguns gritos e o empregado a implorar para que deixassem o patrão, mas em vão.

Os meliantes manietaram-no com fios de eletricidade e passaram à volta do rosto e cabeça fita adesiva causando-lhe a morte por asfixia.

Não se sabe o que teriam roubado para além do vídeo das camaras de segurança.

António Vieira era casado com Margarita Baeta Vieira, natural da freguesia dos Prazeres e pai dos jovens, Jassen Vieira e Samanta Baeta Vieira . Compareceu no local do crime a Chancelor do Consulado-Geral de Portugal em Joanesburgo, Adalberta Coimbra e várias pessoas entre amigos e familiares e funcionários do Fórum Português.

O JM pode afirmar sem qualquer pejo que esta é a terceira morte causada por asfixia a emigrantes portugueses no espaço inferior a um ano, como oportunamente publicou.