Organização no Canadá promove concurso para ligar lusodescendentes às origens

Lusa

Uma organização portuguesa no Canadá pretende incentivar os estudantes lusodescendentes a regressarem às suas origens “através de um concurso de redação”, disse hoje à agência Lusa uma das promotoras da iniciativa.

“O objetivo é de ligar os estudantes lusodescendentes às suas origens e cultura com um propósito académico. Queremos conhecer como a herança portuguesa influenciou as suas vidas”, afirmou Sara Vieira, de 31 anos, diretora da Federação de Empresários e Profissionais Luso-Canadianos.

Com um doutoramento pela Universidade da Colúmbia Britânica em estudos interdisciplinares, a luso-canadiana filha de emigrantes da região de Leiria explicou que ficou “mais próxima da comunidade portuguesa” após em 2017 receber da federação “uma bolsa de estudo”, integrando hoje os corpos sociais da organização.

A FPCBP, como é conhecida a associação, que envolve dezenas de empresários e profissionais luso-canadianos, está a aceitar inscrições para o concurso de património cultural português até 01 de março.

Podem-se candidatar alunos que frequentem o ensino secundário na província do Ontário, do sétimo ao 12.º ano de escolaridade que ao se envolverem com o exercício de língua portuguesa ficam habilitados a um prémio oferecido por um dos patrocinadores no valor de 250 dólares canadianos (162 euros).

No formulário, que pode ser acedido através do portal ‘online’ fpcbp.com/contest, os candidatos terão que responder a uma das questões, em português ou inglês, de como a herança cultural portuguesa os tem afetado no dia-a-dia, ou como a comunidade pode atrair os mais jovens às suas atividades socioculturais.

Após uma pausa em 2020, devido à pandemia provocada pelo novo coronavírus, a FPCBP decidiu em 2021 inovar com a inclusão de uma componente multimédia.

“Os alunos terão que responder à questão número três, o que significa ser português para eles, escrevendo com isso uma pequena redação, podendo juntar para acompanhar o trabalho, uma parte artística, através de um curto vídeo, fotografia, escultura, e por aí”, acrescentou.

Para avaliar os trabalhos foi criada pela federação uma comissão de análise composta por professores.
Os trabalhos vencedores serão premiados e reconhecidos numa cerimónia virtual que será agendada posteriormente.