Voo desde a Venezuela vai trazer 180 pessoas com destino final na Madeira

Marco Sousa

O voo operado pela TAP e organizado por Portugal, que vai partir de Caracas com destino a Lisboa no próximo dia 6 de outubro, vai trazer um total de 295 passageiros.

Conforme apurado pelo JM, está previsto um novo voo de repatriamento para o final do mês de outubro.

O terceiro voo de repatriamento organizado por Portugal vai ser operado pela companhia aérea de bandeira portuguesa, TAP. Dos 295 passageiros que vão aterrar em Lisboa no dia 6 de outubro, 180 têm o Funchal como destino final. A passagem vai custar 855€ a cada passageiro.

80 vão aterrar em Caracas

Além da TAP existe outra novidade. No dia anterior, no sentido Lisboa-Caracas, a aeronave que vai ser utilizada vai repatriar 80 cidadãos até Caracas, 30 dos quais luso-venezuelanos que partem da Madeira.
Rui Abreu, diretor regional das Comunidades e Cooperação Externa, destacou o trabalho que está a ser desenvolvido pelo Consulado-Geral de Portugal em Caracas.
“As inscrições para ter acesso ao voo são realizadas no Consulado-Geral de Portugal em Caracas cujo cônsul, Dr. Licínio Amaral esteve na Madeira e está a fazer um excelente trabalho de acompanhamento da comunidade”, destacou.
Além dos 30 que vão regressar à Venezuela, existem mais alguns a aguardar no Funchal.
“Ainda há inscritos no Consulado da Venezuela no Funchal, no caso dos que querem ir para a Venezuela, além dos 30 que agora vão, existem 73 luso-venezuelanos que ficam a aguardar um novo voo ou a abertura das ligações regulares comerciais. Pessoas que querem ir com a família, tratar de assuntos pessoais, de negócios e por isso querem regressar”, afirmou Rui Abreu.
No sentido Caracas-Lisboa, o voo vai sair às 00h do dia 6 de outubro e chega por volta da hora de almoço a Lisboa.
“O voo vai sair de Caracas com 295 passageiros dos quais 180 vêm posteriormente com destino ao Funchal. Os restantes 115 dividem-se entre portugueses, espanhóis e italianos. Nos voos anteriores organizados por Espanha e Itália também foram abertos a portugueses, há aqui uma retribuição”, descreveu.
Conforme adiantado pelo membro do executivo regional, a maior parte destas pessoas têm alguma idade, “pessoas que já têm as suas vidas organizadas e querem vir ter com a família, querem voltar às suas casas, querem vir para a sua terra e não têm podido fazê-lo há 8 meses para cá, porque desde fevereiro que não há voos regulares para Portugal da Venezuela”.

Novo voo no final de outubro

Rui Abreu, desvendou uma nova novidade, dada a procura que tem existido por estas ligações aéreas de carater excecional.
“No final de outubro prevê-se que haja um novo voo também organizado por Portugal e, segundo dados que o Consulado-Geral de Portugal em Caracas nos forneceu, existem 490 portugueses inscritos para regressar a Portugal. Desses 490, 210 são da Madeira”, concluiu.

Leia tudo na edição impressa de hoje do JM.