Assembleia de Apuramento Geral não encontra irregularidades no Funchal

Lusa

A Assembleia de Apuramento Geral não detetou irregularidades eleitorais em relação às eleições autárquicas no concelho do Funchal e, até ao momento, apenas validou dois votos nulos, informou hoje o juiz Filipe Câmara, presidente deste órgão.

O responsável explicou, no entanto, que ocorreram algumas anomalias relacionadas com atas incompletas ou não preenchidas e com votos nulos que não constavam dos envelopes enviados à Assembleia de Apuramento Geral.

"Tivemos de pedir ao Tribunal [da Comarca da Madeira] para nos enviar todos os votos para procurar os nulos e este foi um dos problemas que atrasou os trabalhos", disse Filipe Câmara, lembrando que a operação começou esta terça-feira e só no final manhã de hoje ficou concluída, sendo que o edital deverá ser afixado esta tarde.

O juiz disse, por outro lado, que não tem explicação para estas irregularidades, e explicou que, no envelope remetido à Assembleia de Apuramento Geral tem de ser feita referência a todos os elementos que deve conter, o que não aconteceu, pelo que foi necessário proceder a "muita recontagem" de votos.

A Coligação Confiança (PS/BE/JPP/PDR/Nós, Cidadãos!), liderada pelo atual presidente da Câmara, Paulo Cafôfo, venceu as eleições autárquicas no Funchal com maioria absoluta, tendo elegido seis vereadores, num total de onze. Em segundo lugar, ficou o PSD, com quatro vereadores e em terceiro o CDS-PP, com um.