Caminho da Penteada sem sinalização numa obra representa perigo para população e automobilistas

Redação

Uma obra da Câmara Municipal do Funchal (CMF) sem sinalização de trânsito e sem aviso aos peões está a causar algum perigo para os residentes e automobilistas na zona da Penteada.

Segundo um residente, os automóveis circulam no Caminho da Penteada no sentido ascendente e não encontram qualquer sinal de trânsito a impedir essa circulação devido às obras. Já no sentido descendente é mais difícil, pois existem sinais de trânsito de proibição de circulação automóvel colocados na zona dos Álamos. Trata-se da segunda fase de uma obra da CMF, com duração prevista de 5 meses, no "Caminho da Penteada, entre a rotunda dos Álamos e a Estrada da Universidade, com condicionamentos ao trânsito rodoviário, mantendo-se, todavia, a circulação", informou a CMF em 28 de fevereiro.

Com as chuvas de ontem e com a circulação automóvel naquela zona a se fazer normalmente, os materiais utilizados na obra estão espalhados ao longo do caminho da Penteada, mesmo junto ao mercado e a um conhecido estabelecimento comercial. A zona mais perigosa é o entroncamento numa subida em direção à Igreja dos Álamos, onde existe muita circulação de pessoas residentes nos Apartamentos da Penteada. As condições em que se encontra a estrada é perigosa e pode vir a motivar alguns incidentes, o que está a deixar os residentes preocupados.

A obra da CMF é de substituição das redes de distribuição de água em fibrocimento no setor ocidental do Funchal no Caminho da Azinhaga e no Caminho da Penteada. A intervenção abrange mais de 2km de rede, está orçada em 566 mil euros e durará cerca de 10 meses no total e ainda abrange o Caminho do Lombo do Jamboeiro, a sul da Estrada Comandante Camacho de Freitas.