Ambulância em marcha de urgência impedida de passar

Uma ambulância foi, esta manhã, obrigada a parar quando seguia em marcha de emergência na Rua do Lazareto, no Funchal. Chegou a estar imobilizada durante algum tempo, tudo porque um condutor achou que não tinha de facilitar a passagem da viatura em emergência.

Como a estrada é estreita, a viatura teria de recuar, obrigatoriamente. Porém, o condutor do veículo ligeiro de cor vermelha ficou impávido e parado à frente da ambulância, apesar dos sinais luminosos e sonoros do veículo em urgência. Apesar da prioridade do veículo prioritário (em marcha de urgência), o indivíduo que conduzia a viatura não facilitou a passagem.

Além disso, a ambulância tem sempre prioridade neste caso. A cena resultou, até, numa acesa troca de palavras entre os profissionais do socorro pré-hospitalar e o condutor do veículo ligeiro de passageiros. Quem sofreu foi a pessoa que estava para ser socorrida, e tudo devido à incúria de um automobilista.