Suspeita de fogo posto no incêndio do Porto Moniz. Duas frentes ativas (Com vídeo)

O fogo que deflagra no concelho do Porto Moniz parece não dar tréguas e permanecem duas frentes ativas, pelo que continuam a ter muito trabalho os bombeiros que se encontram no teatro de operações.

As chamas motivaram a suspensão da campanha do PS, facto confirmado ao JM pelo presidente do partido, Emanuel Câmara, que acrescentou que as circunstâncias apontam para a possibilidade de fogo posto, facto que as autoridades já se encontram no terreno a investigar.

No terreno estão, além dos Bombeiros de São Vicente e Porto Moniz, os Bombeiros Voluntários Madeirenses, a Polícia Florestal e a PSP.

A autarquia já abriu novos acessos ao teatro de operações.

O helicóptero de combate a incêndios abandonou o terreno e deslocou-se para outro local, sendo possível que regresse ao final da tarde.

O comandante dos Bombeiros Volnutários de São Vicente e do Porto Moniz, Artur Fernandes, explicou ao JM que este é um "incêndio trabalhoso, que deflagrou ontem pelas 22h30."

"Face ao forte vento que se fazia sentir, as chamas propagaram-se. A falta de acessos para podermos fazer um ataque direto ao incêndio faz com que ainda não tenhamos o fogo controlado", esclareceu.

"Estamos a fazer ataques diretos numas zonas, noutras estamos a fazer rescaldos e vamos ficar em vigilância noutros locais. Estamos a realizar ataque, patrulhamento e vigilância, para o cumprimento cabal da nossa missão", garantiu, reiterando que neste momento há duas frentes ativas.

Veja o vídeo do combate às chamas.