Marcador fumígeno desativado na Calheta

A Polícia Marítima divulgou hoje um comunicado alusivo aos factos sucedidos na Calheta.

Pelas 13 horas de hoje, o “responsável pelo comando de uma embarcação marítimo-turística comunicou ao Piquete da Polícia Marítima no Funchal ter detetado e recolhido um objeto do mar semelhante a uma bomba, de tipo militar”, lê-se na nota de imprensa.

O objeto tinha uma previsão de chegada à Marina da Calheta pelas 14 horas, e, a autoridade explica que foram dadas instruções aos tripulantes da embarcação “para que não tocassem mais no objeto”.

A Polícia Marítima acrescenta que foi solicitado “ao Comandante da embarcação que partilhasse foto do objeto por e-Mail”.

“Assim, foi identificado o objeto, afinal um marcador de posição no mar, cujo componente ativo é um derivado do fósforo, que reage com a água e com a atmosfera, entrando em combustão e produzindo fumo”, informaa mesma entidade.

Na chegada da embarcação ao porto, os passageiros foram evacuados, assim como aqueles que se encontravam num restaurante nas imediações, uma ação que contou com o apoio da Brigada de Intervenção Rápida (BIR). “De imediato foi projetada para o local uma equipa da Polícia Marítima e solicitado apoio à Esquadra da Calheta da PSP, cujo pessoal chegou primeiro e constatou que a embarcação já havia atracado e evacuado os seus passageiros e tripulantes (14 pessoas no total), movimentando o objeto perigoso para junto do ponto de recolha de lixo no interior da área de atracação, o que obrigou à evacuação de todas as pessoas que se encontravam num restaurante dentro do perímetro de segurança com um raio de 150m, estabelecido em função das especificidades da matéria perigosa, com o apoio adicional da BIR/PSP, e que contou com a pronta cooperação de todos”, lê-se no comunicado.

Posto isto, as autoridades procederam ao detonamento do objeto. “O marcador fumígeno em causa foi removido em segurança e destruído pela Equipa de Inativação de Engenhos Explosivos e Segurança em Subsolo da Unidade de Apoio Policial do Comando Regional da Madeira da Polícia de Segurança Pública”, referem.

Ainda na mesma nota é mencionado que o dispositivo “contou com o empenhamento dos Bombeiros Voluntários da Calheta e a colaboração da Administração da Marina”.

A normalidade foi reposta pelas 16 horas.