Mais de seis mil documentos desclassificados pela Marinha em sete meses

Nos primeiros sete meses de existência, a Comissão de Desclassificação de Documentos da Marinha já analisou mais de 6.700 documentos, maioritariamente do fundo COLOREDO - Moçambique, tendo quase na sua totalidade sido alvo de desclassificação, podendo assim, satisfazer o elevado interesse público, refletido em muitos pedidos de consulta, e contribuindo igualmente para dinamizar a abertura da Marinha à sociedade e aos cidadãos.

A comissão, desde fevereiro, procedeu a uma apreciação da documentação existente nos diversos fundos que constituem o acervo dos arquivos tem realizado e tido em atenção também o levantamento do enquadramento legislativo e regulamentar, essencial para sustentar uma correta reavaliação da classificação dos documentos.

Esta avaliação, que incidiu especialmente sobre os que têm tido maiores solicitações de acesso pelos leitores, foi fundamental para elaborar um Plano Anual de Desclassificação da documentação que, além de priorizar os fundos a avaliar, definiu uma meta anual de documentos a analisar pertencentes a 1400 Unidades de Instalação do fundo documental COLOREDO Moçambique | Angola | Guiné | Timor.

A Marinha ativou, em 10 de fevereiro do presente ano, a Comissão de Desclassificação de Documentos, que funciona na dependência direta do superintendente das Tecnologias da Informação e agrega vogais de diversos organismos da Marinha, nomeadamente do Centro de Documentação Informação e Arquivo Central da Marinha, da Biblioteca Central da Marinha e do Estado-maior da Armada.

​O principal objetivo desta comissão é reavaliar periodicamente o acervo dos Arquivos da Marinha com vista à sua eventual reclassificação ou desclassificação e consequente disponibilização ao público. 

Este património arquivístico conserva a memória da Marinha, nas suas múltiplas atividades - pessoal, navios, organismos, infraestruturas e legislação – e em áreas geográficas diversificadas, ao longo dos últimos 277 anos. Com os seus documentos podem ser estudados temas tão diferentes, como por exemplo a saúde, a ciência, novas tecnologias, construção naval, pescas, marinha mercante e de recreio, a sociedade.

JM